Você sabe a diferença entre cosméticos naturais, à base de produtos naturais e orgânicos?

Atualmente temos observado que as pessoas estão buscando cada vez mais um consumo ecológico e consciente, mas para isso é preciso estar atento. Existem no mercado muitos tipos de cosméticos que diferem dos produtos convencionais por serem fabricados com ingredientes menos nocivos para o nosso organismo. A principal questão que diferencia os cosméticos comuns dos outros diz respeito à porcentagem de ingredientes sintéticos, derivados do petróleo, testados em animais e geneticamente modificados presentes no conteúdo do produto. Quer entender direitinho como isso funciona? A gente explica!

agência epohke, cosméticos, orgânicos, naturais

Getty Images

Cosméticos naturais
Os cosméticos naturais são caracterizados por não conter aditivos químicos em sua composição. Eles podem ter no mínimo 95% do conteúdo total de matérias-primas naturais, enquanto os outros 5% podem ser constituídos por substâncias sintéticas listadas pela certificadora (Ecocert), mas que não estão inseridas nas matérias-primas proibidas para cosméticos naturais.

Para saber se o cosmético é realmente natural, verifique se ele apresenta o selo IBD – Ingredientes Naturais ou o selo Ecocert – nesse caso, você pode confiar na procedência do produto. Mais fique atento! Se o cosmético contiver alguma das matérias-primas proibidas (confira a lista aqui) e ainda assim anunciar em sua embalagem que é um cosmético natural, então ele pode ser considerado um cosmético a base de produtos naturais.

Cosméticos à base de produtos naturais
Esses cosméticos são amplamente difundidos no mercado porque são produtos fabricados de modo convencional, mas que possuem em sua formulação uma porcentagem de ingredientes naturais. Eles contêm as matérias-primas que são proibidas para os cosméticos naturais e uma ou outra matéria-prima permitida para produtos naturais. O problema que envolve a comercialização destes cosméticos está no fato de que muitos são anunciados como 100% naturais. Alguns podem até conter selos do IBD ou da Ecocert, porque estão utilizando na sua composição algum ingrediente que é certificado, ou por ser natural, ou por ser orgânico. Mas vale destacar que isso não confere ao cosmético a propriedade de ser natural.

Cosméticos orgânicos
Segundo o IBD, existem os cosméticos orgânicos e os cosméticos feitos com matérias-primas orgânicas. Os cosméticos orgânicos devem possuir, no mínimo, 95% de matérias-primas certificadas como orgânicas. Os 5% restantes podem ser compostos por água e por outras matérias-primas naturais. Já os cosméticos feitos com matérias-primas orgânicas devem possuir, no mínimo, 70% e, no máximo, 95% matérias-primas certificadas como orgânicas.

Essas matérias-primas certificadas orgânicas são naturais e baseadas nos métodos do sistema orgânico de produção, que procuram aperfeiçoar o uso de recursos naturais e socioeconômicos utilizando outros métodos alternativos ao uso de materiais sintéticos na cadeia produtiva.

Portanto, quando um cosmético é natural, ele não necessariamente é orgânico, porém quando um produto é orgânico ele sempre será natural. E um cosmético fabricado à base de produtos naturais não pode ser considerado totalmente natural.

E o vegano?

Vale lembrar que esses produtos também podem ser veganos, ou seja, não são testados em animais e também não utilizam matérias-primas de origem animal como cera de abelha, leite ou banha.

Reciclagem e descarte
Os cosméticos à base de produtos naturais, por serem quase iguais aos cosméticos convencionais, não podem ser descartados no lixo comum. Já os cosméticos naturais, orgânicos e feitos com matérias-primas orgânicas são considerados biodegradáveis, e, portanto, podem ser descartados no lixo comum. É importante sempre ler o rótulo para saber qual o melhor destino final do produto.

Fonte: Ecycle